ANGELIM

 

Nome científico: Dinizia excelsa Ducke, Leguminosae.

Outros nomes populares: angelim-falso, angelim-ferro, angelim-pedra, angelim-pedra-verdadeiro, faveira-carvão, faveira-dura, faveira-ferro, faveira-grande.

Ocorrência:
• Brasil: Amazônia, Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia.
• Outros países: Guiana, Guiana Francesa, Suriname.
 
Ang_-_Face   Ang_-_Lat 
 

CARACTERÍSTICAS GERAIS

  • Características: cerne e alburno pouco distintos pela cor, cerne castanho-avermelhado, brilho moderado, cheiro e gosto imperceptíveis, densidade alta, dura ao corte, grã direita a irregular, textura média a grossa, superfície pouco lustrosa.

DURABILIDADE / TRATAMENTO

  • Durabilidade natural: o cerne apresenta alta resistência ao ataque de fungos e insetos. Em ensaios de campo com estacas, esta madeira foi considerada altamente durável com vida média maior que oito anos. 
  • Tratabilidade: impermeável às soluções preservativas. O cerne não é tratável com oleossolúvel e nem com hidrossolúvel, mesmo em processo sob pressão.  

CARACTERÍSTICAS DE PROCESSAMENTO

  • Trabalhabilidade: A madeira de angelim é difícil de ser trabalhada, mas recebe bom acabamento. Madeira fácil de tornear com bom acabamento e na furação apresenta desempenho regular. 
  • Secagem: Rápida em programas mais severo. Apresenta tendência moderada ao torcimento e leve ao colapso; seca relativamente bem ao ar.  


USOS

  • Construção civil:
    • Pesada externa:
          pontes
          postes
          estacas
          esteios
          cruzetas
          dormentes ferroviários
          obras portuárias, piers
    • Interna:
          vigas
          caibros
  • Outros usos:
          cabos de ferramentas
          transporte

 

 

 

* Fontes: Ibama, IPT.



 

Diadema - SP

4075.1092 / 4075.1634  /  4075.4066 / 4075.4151 

mdiadema@uol.com.br

  Site Map