PINHO:

 

 

Nome científico: Araucaria angustifolia (Bertol.) Kuntze, Araucariaceae.

Outros nomes populares: pinheiro-do-paraná, pinho, pinho-brasileiro.

Ocorrência:
• Brasil: Mata Atlântica, Minas Gerais, Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo.
 
Pinho_-_face   Pinho_-_lat
 

CARACTERÍSTICAS GERAIS

  • Características: alburno e cerne pouco distintos pela cor, cerne branco-amarelado, freqüentemente com manchas largas róseo-avermelhadas (em árvores mais velhas, o cerne pode apresentar coloração amarronzada), brilho moderado, cheiro e gosto pouco acentuados, característicos de resina, agradável, densidade baixa, macia ao corte, grã direita, textura fina.

DURABILIDADE / TRATAMENTO

  • Durabilidade natural: A madeira de pinho, em ensaio de laboratório, demonstrou ter baixa resistência ao apodrecimento e ao ataque de cupins-de-madeira-seca. A madeira é muito susceptível aos fungos causadores da mancha azul, cupins e perfuradores marinhos. Ocasionalmente podem ocorrer danos causados por brocas do grupo dos curculionídeos. O alburno não é susceptível às brocas de madeiras do gênero Lyctus. 
  • Tratabilidade: A madeira de pinho, em ensaios de laboratório, quando submetida à impregnação sob pressão, demonstrou ter alta permeabilidade às soluções preservantes.

CARACTERÍSTICAS DE PROCESSAMENTO

  • Trabalhabilidade: A madeira de pinho é fácil de ser trabalhada com ferramentas manuais ou máquinas. Se ocorrer madeira de compressão, pode haver distorção durante o aplainamento. Fácil de colar e aceita bem acabamentos superficiais. É fácil de desdobrar, aplainar e colar permitindo bom acabamento. 
  • Secagem: A secagem ao ar é difícil por apresentar tendência à torção e rachaduras. O processo de secagem em estufa deve ser controlado cuidadosamente, para que se possa obter Madeira de qualidade. 


USOS

  • Construção civil:
    • Leve interna, estrutural:
          ripas
          partes secundárias de estruturas
    • Interna, decorativa:
          cordões
          guarnições
          rodapés
          forros
          lambris
    • Uso temporário:
          pontaletes
          andaimes
          fôrmas para concreto
  • Mobiliário:
    • Utilidade geral:
          móveis estândar
          partes internas de móveis inclusive daqueles decorativos
  • Outros usos:
          moldes e modelos
          molduras para quadros
          instrumentos musicais ou parte deles
          cabos de vassoura
          lápis
          palitos
          chapas compensadas
          lâminas decorativas
          artigos de esporte e brinquedos
          embalagens
          utensílios domésticos
          montantes de escadas singelas ou extensíveis

 

 

 

 

* Fontes: Ibama, IPT

 


 

 

Diadema - SP

4075.1092 / 4075.1634  /  4075.4066 / 4075.4151 

mdiadema@uol.com.br

  Site Map